4 de jun de 2013

As redes SOCIAIS


Não há como negar o crescente numero de adeptos de redes sociais. Em todos os lugares vemos alguém teclando, curtindo, compartilhando, tuitando... e outras atividades que se tornaram exclusividade de quem está conectado. De jovens á idosos. Todos exercendo sua capacidade de interagir...
http://www.techsempre.com/2013/05/as-10-redes-sociais-mais-usadas-no.html
 

Se eu tivesse entrado numa máquina do tempo e tivesse pulado de 1990 pra 2013 eu escreveria o seguinte relato: "Encontrei um mundo muito desenvolvido tecnologicamente, mas me parece que as pessoas se tornaram mais distantes de quem está perto, e mais próximas de quem está longe"...
Não é isso?

Quantas vezes estamos do lado de várias pessoas, uma possibilidade infinita de conhecer culturas, gostos, lugares...Porém, como estas pessoas simplesmente não tiram os olhos de seus celulares, tablets, notebooks, essa possibilidade se torna inviável - a não ser que você seja seguidor de alguém em comum, ou seja "amigo"...

Como é possível termos mais de trezentos amigos, se não conversamos com ninguém?
Como é possível se tornar "amigo de infância" de alguém que você nunca se encontrou pessoalmente?
Você se abriria para alguém, que começasse a conversar com você enquanto espera o coletivo por exemplo? Por que é tão fácil as pessoas entregarem dados tão íntimos para outras completamente virtuais? Se é difícil ter certeza da integridade de alguém olhando nos seus olhos, imagina tendo contato apenas pelo computador...
 
As redes sociais podem ser consideradas  novos meios de se promover relações sociais, porém me pergunto: - até quando? Em que momento os grupos se reunirão, fisicamente, para interagir seus gostos, seus costumes, suas preferências... ? Quando isso acontece, o papel social se complementa. Necessitamos do contato físico onde outras relações se estabelecem: psicológica, fisiológica, magnética, espiritual...
Caso o contato físico não aconteça, sentimos que o vínculo poderá nunca passar do virtual ou até mesmo do ilusório...

Cabe refletirmos e questionarmos se é isso mesmo que queremos. Olharmos para nossos filhos e visualizarmos seu futuro pós "face". Se nos falta paciência, se nos sentimos mais seguros no computador ao invés de dar uma volta na cidade, se nos falta argumentos para se estender um debate, talvez estejamos correndo um sério risco de nos tornarmos verdadeiros antissociais.
 

15 de mar de 2013

Menores infratores

 
Não é de hoje que percebemos um aumento significativo de menores infratores.
Esse tema tem se tornado corriqueiro em todos os cantos.Principalmente quem sofreu com a ação desses delinquentes juvenis.O assunto é sério, mas quem mais deveria promover debates entre a sociedade para que algo seja feito, foge do assunto...
Trago aqui os principais tópicos a serem vistos sobre o assunto. Espero que alguem se utilize desse espaço para realmente tentar chegarmos a uma solução.
 
 

A problemática:


Tráfico lota unidade de adolescentes: Não é de hoje que se sabe que os adolescentes passaram a desempenhar papéis no tráfico de drogas muito além de usuários. Eles se tornaram parte ativa na comercialização. E as consequências disso são mais do que preocupantes. Uma delas é a lotação das unidades de apreensão de adolescentes. Em Bauru, na semana passada, dois jovens precisaram ser transferidos para uma cadeia pública justamente por conta da lotação da cela especial na Delegacia da Infância e Juventude (Diju).
 
Casep sem vagas para novos infratores:  O número de adolescentes internados no Centro de
 Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Criciúma está no limite. A instituição 
tem a capacidade de atender a 20 crianças e adolescentes. Ninguém mais pode entrar no
local, mesmo que seja culpado por um crime gravíssimo.
 

Sobem apreensões a menores infratores: Os números de adolescentes envolvidos em atos infracionais vêm crescendo de modo expressivo no Ceará, no últimos anos, de acordo com dados da Polícia Civil. De acordo com as estatísticas da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), obtidos com exclusividade pelo Diário do Nordeste, na semana passada, nada menos que 4.208 adolescentes foram apreendidos pela PM, na Grande Fortaleza, em situação de flagrância pela PM, em 2012

Casos:


"Um adolescente munido de armamento pesado matou cinco pessoas, das quais três eram crianças, em uma casa em Albuquerque, Novo México, no Sul dos EUA na noite de sábado (19), segundo informaram as autoridades norte-americanas neste domingo (20)".

"Um turista de São Paulo morreu depois de ser baleado por uma menina durante um assalto na noite deste domingo (6) em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O empresário estava em um carro com a esposa, a enteada de oito anos e uma prima. Segundo a polícia, a garota que atirou contra o rapaz tem 14 anos".
 

As ações:
 


O menor infrator e a eficácia das medidas sócio educativas:  É de se ressaltar que a violência entre os adolescentes tem crescido vertiginosamente, de modo que estes estão assemelhados aos adultos em suas atividades delitivas, conscientes, pois, do que querem fazer, e não subprodutos indefesos de uma situação social que os pretere. Não é mais uma questão de cunho exclusivamente político-social, mas jurídico, notadamente no que tange à punição dos infratores. Entende-se que a preocupação exagerada dos legisladores em relação à elaboração de medidas sócio-educativas recuperativas é explicada pelo fato de o menor ser ainda um indivíduo em processo de construção da personalidade, que por um ou outro motivo, comete delito, mas que ainda pode ser resgatado para uma sociedade justa no futuro, afastando-o da grande possibilidade que o ronda, no sentido de continuar a delinqüir, quando de sua imputabilidade.


Ministra é contra aumento de pena para menor infrator: “Sou contrária à ampliação das penas porque as unidades (onde os infratores cumprem pena) não têm projeto de reinserção educacional, de formação profissional, de recuperação da situação da dependência química e atendimento em saúde. Com o aumento, só vamos condenar o jovem a ficar mais tempo em um lugar que não lhe oferece nenhuma recuperação", disse a ministra

O Debate
 
Agora começa a parte mais difícil. O que fazer? Diminuição da idade penal? Medidas sócio-educativas - vigentes- funcionam? O que esperarmos destes jovens no futuro? É um problema de segurança, de saúde, de educação, social...? Vamos pensar e conversar sobre isso.

 

1 de mar de 2013

O adolescente de hoje

Segundo o Estatuto da criança e do adolescente, o adolescente está na idade de 12 á 18 anos.
Essa idade serve como referencia para tomarmos medidas legais adequadas a cada situação.
Porém essa idade pode variar conforme a maturidade de cada um.
Outro dado importante: o adolescente de hoje não pode ser comparado com o de ontem, uma vez que o mundo mudou - tanto no campo da informação quanto no do comportamento.

Vejamos os seguintes vídeos da TV Assembleia Legislativa - Debate  onde a Dra. Denise D'Aurea Tardeli (doutora em Psicologia escolar) e Felippe Augusto P. Tribuzzi (pedagogo) discorrem  sobre o tema:

Adolescente de hoje I: http://youtu.be/qiNi5ut2_Rg

Adolescente de hoje II:   http://youtu.be/dgHMkYD9GL8

Adolescente de hoje III:  http://youtu.be/Oq1zRq-a0c4

Adolescente de hoje IV: http://youtu.be/lXJcJc6BGNQ

 
 


 

23 de fev de 2013

De onde vem tanta violência?

  Você certamente já deve ter notado isso.É da violência bárbara mesmo,  filho matando pai, mãe abandonando filho; até a violência banal, aquela que acontece por uma bobagem: um esbarrão, uma fechada no trânsito já é motivo pra iniciar uma guerra!
  Porquê?
  Já tentou entender o porquê?
  Provavelmente sim.Mas duvido que tenha conseguido!
  Algumas pessoas tentam culpar a falta de tempo.Estamos sempre atrasados para qualquer compromisso!

Tô atrasado!Tô atrasado!

 

   Outras culpam o trânsito: ônibus precários gera aumento de carros individuais que culmina em excesso de carros parados aumentando o estresse de cada um!


   Há ainda quem culpe o aumento da violência pelas mudanças sociais, em respeito á família, aos valores morais.
  Mas não é só isso! Todos se movimentam em busca de algo.Um querer sempre mais de muitas coisas!Isso gera ansiedade, que muitas vezes causa insatisfação.

  Insatisfação. Talvez seja a palavra chave.
 
  Quem não está satisfeito com o que é, com o que tem,  como vive, ou entristece profundamente ou vive irritado!Daí para explodir em algum gesto de violência...
  Tem solução? Deve ter! Espero que tenha! Afinal, este é o mundo em que vivemos!Temos que acreditar que isso tudo mude, afinal o que deixaremos para nossos filhos?

Para refletir, deixo esse vídeo. A solução deve estar por aí.



  
 

25 de jan de 2013

Refletir

Para início de conversa faz-se necessário entender o significado da palavra refletir.
Num primeiro momento, quando falamos em reflexo, o que nos vem á cabeça de pronto é a imagem de um espelho.Certo.Reflexo-imagem refletida.Fisicamente falando, trata-se de luzes refletidas (no caso do espelho)...
Até mesmo o espelho reflete o que você acredita ver!!!


 Ou pode ser uma reação  involuntária á um estímulo exterior, por exemplo,  fechar os olhos quando alguém leva um objeto bem perto dos nosso rosto.
Se pararmos para pensar, trata-se de uma resposta provocada.
A reflexão a qual iremos tratar aqui, é a resposta provocada pelos estímulos da leitura, da visão, da conversa, da audição que, antes de ser refletida pela boca ou pelas mãos, será processada pelo cérebro.Mais que isso.Pela consciência.
Houaiss: Refletir - meditar, pensar demoradamente.
Um dos grandes problemas da humanidade hoje é falácia sem reflexão.Muito se diz, sem pensar: reproduz o que se vê por aí, sem parar pra refletir: é isso mesmo? Concordo com isso?
Ou então, simplesmente não concorda e pronto.
Não se dá o tempo suficiente para pensar.
(Tempo.Temos vinte e quatro horas, mas nunca temos tempo para pensar, meditar demoradamente...)

Então, está feito o convite.
Preparados para refletir?

Afinal, "penso logo existo".
Ou poderíamos existir e não pensar?
"Ser ou não ser, eis a questão".

Ôpa! De cara duas frases que repetimos a muito tempo mas, será que paramos para refletir sobre suas verdades?


Que comece nosso exercício!



O Pensador August Rodin